A mulher gritou, a bolsa estourou e o bebê saiu, mas dentro do recém-nascido há algo que nunca sairá. Está entranhado no coração, no corpo e na alma. Falo do sonho, daquela vontade sem razão ou explicação que nasceu intrinsecamente e se desenvolveu conforme a crescente maturidade. Desejos que para o alheio são ilógicos, utópicos, haja tópico para listar negativamente aquilo que o seu ser não mente. Após pensar e refletir decide então dizer sim ao que sua existência busca no mundo.

Viajar é bom, mudar é necessário, seguir o caminho é imprescindível, porém nem tudo cabe na mala, é preciso deixar coisas e pessoas para atrás. Adeus ao namorado, olá à faculdade. Tchau ao melhor amigo, oi para o novo emprego. A culpa é dos sonhos que sempre estão residindo em lugares longe, tão caprichosos que não admitem levarmos tudo o que querermos e nem nos deixam tranquilos até os alcançar. É difícil ter peito e coragem para se afastar de quem se ama, mais difícil ainda é amar a quem lhe afastou do que se sonha. Conflito maldito.

Ninguém nasceu grudado ao umbigo, já o desejo existencial veio anexado, adendo que não deveria ser retirado, já que frustrados são os casos de quem desiste do que quer por causa das pessoas que dizem lhe querer bem. Abrir mão de voar para não se afastar significa futura infelicidade e no dicionário “Grande Verdade” cortar as asas é o oposto de amar. É mais digno admirar o voo e torcer para que dê certo.

A partida sofrida é apenas a primeira etapa da jornada, nem tudo será flores, pelo contrário, muitos nem sequer conseguem chegar ao destino desejado, no entanto é melhor tentar do que culpar aos que um dia amou por não haver tentado. Diante do fracasso covarde, o que era amor se transforma facilmente em rancor.

Nesta odisséia se sente saudade, nostalgia e ansiedade.  É o preço a ser pago. Conhecer pessoas marcantes e ter que seguir sabendo das chances reais de nunca mais voltar a vê-las é como perder pedaços na mata, afinal de contas nenhum aventureiro chega totalmente inteiro ao seu tesouro.

Faculdade em Buenos Aires, emprego na China, paixões mal remuneradas, vontades incompreendidas pela sociedade. Quero ter liberdade. O capitalismo não permite. Quem realmente quer, insiste. A diversidade dos desejos humanos é infinita, os meios de alcançar o que se quer é limitado e o espaço da mala é pequeno, então guardei você no coração, levarei aonde quer que eu vá, não importa o que esteja eu buscando.

Existe a possibilidade de não voltar a te ver, mas é impossível te esquecer. Não sei se os sonhos são para sempre, mas tenho certeza que sempre lembrarei dos nossos passeios, dos almoços, dos teatros, das conversas, das piadas e das horas ao seu lado. Já estivemos no mesmo quadrado.

Se estou longe é porque quero alcançar meus sonhos, se os alcanço é porque você fez parte e se escrevo o final em primeira pessoa é porque você é a pessoa da qual me sinto perto neste momento.

Comunidade de Brasileiros Cristãos de Buenos Aires: distantes de quem amam por um sonho.

Categorias: Crônicas

Deixe seu comentário

  1. fabiResponder

    Oi amigo, eu li sua cronica, gostei muito, sinto saudade de fazer teatro com vc como mesmo ja disse Ana Shefer ” éramos uma dupla e tanto ” srsrrs. Abraço saudoso da sempre amiga.
    Fabi.
    PS: Não quero morrer sem antes fazer a última peça com vc e posteriormente, lá no céu, entretermos nossos queridos na eternidade!
    Que deus fique com vc.

  2. fabiResponder

    Oi amigo, eu li sua cronica, gostei muito, sinto saudade de fazer teatro com vc como mesmo ja disse Ana Shefer ” éramos uma dupla e tanto ” srsrrs. Abraço saudoso da sempre amiga.
    Fabi.
    PS: Não quero morrer sem antes fazer a última peça com vc e posteriormente, lá no céu, entretermos nossos queridos na eternidade!
    Que deus fique com vc.

  3. Celina GalloResponder

    Usiel, amei seu texto, como sempre. me achei nele sabia?? vc tinha razao em ter se lembrado de mim. Vamos ficar bem…espere só!!
    sucesso pra vc nessa nova etapa.

  4. Lu DouradoResponder

    Amigoooooo… que saudade amei sua crônica… lindo…
    tbm não esqueço nossos momentos de solidão e qd falavamos dos amores rsrsrs

    eu tenho mais seguidores que você…

    bjo
    mundodeluu.blogspot.com

  5. Uziel SantosResponder

    Obrigado pessoal. Realmente eu sei mais ou menos dos meus amigos que estão passando por algo parecido.
    Saudade de vocês, só não citei nomes porque seria muitos.

  6. laeciolrResponder

    Gostei da cronica, principalmente quando vc disse que “na mala nao cabe tudo”. Parabens, criatura vc tem que escrever um livro.rrs
    Abraco, tudo de bom, sucesso. Espero ve-lo ano que vem.

  7. Ellen.MerelyResponder

    AstrOOo!! De todas as maravilhas do nosso mundão ainda falta conhecer Sao Jose dos campos, onde existe a mais bela Obra de arte. O Davi. Ele tambem quer ser seu amigo! sAUDADE de Voce!! Aposto que nem lembrou de mim quando escreveu esse ai.. rsrs

    • Uziel MoreiraResponder

      Claro que lembrei de vc, Ellen. Tanto é que no mesmo dia que fiz meu twitter, advinha qual é nome.
      @AstroUziel, Sigam-me.
      Saudade de vc,

  8. Uziel SantosResponder

    Claro que lembrei de vc, Ellen. Tanto é que no mesmo dia que fiz meu twitter, advinha qual é nome.
    @AstroUziel, Sigam-me.
    Saudade de vc, quero muito conhecer seu filho.