Perú – Huacachina, Ica e Islas Ballestas: Oásis

Perú – Huacachina, Ica e Islas Ballestas: Oásis

Depois de ter passado dias incríveis e cansativos em Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu, peguei o voo de volta à cidade de Lima. O voo dessa vez atrasou em uma hora. A parte boa é que estava passando Maria do Bairro na televisão de lá, isto às 9 e meia da manhã. Cheguei ao aeroporto de Lima por volta das 11:30 e fui direto ao banco tentar sacar dinheiro no atendimento, já que Cartão Ourocard no Perú é bastante complicado.

Do Aeroporto à Rodoviária

Ao meio-dia, com as coisas do banco resolvidas, fui pegar um táxi rumo a rodoviária. Estava em dúvida se ia para Huacachina ou se ficava em Lima, pois estava muito cansado. Mesmo assim, como já havia comprado a passagem de ida para Ica (36 soles, cerca de 30 reais), tomei coragem para encarar quatro horas de viagem num ônibus.

Na saída do aeroporto, como sempre acontece no Perú, fui tomado por vários taxistas, seis ao total, todos querendo me levar. Aproveitei para pechinchar. O custo do aeroporto para a rodoviária era de 50 soles, mas eu disse que só pagaria 25. Os taxistas deram risada e disseram que por esse preço não me levariam a lugar nenhum. Bati o pé e disse que só iria por 25. Fiquei tonto com a quantidade de taxistas tentando fazer sua oferta. Cinco minutos depois, um taxista aceitou me levar por 25 soles, porém levou uma passageira desconhecida junto. O táxi virou uma espécie de Van, mas não reclamei, afinal, consegui um desconto de 50% na corrida.

Ônibus no Perú

Ao chegar à rodoviária consegui antecipar minha passagem para o ônibus que estava saindo e logo embarquei na companhia Cruz del Sur. O ônibus é confortável, serve lanche de graça e também tem algumas coisas para vender. Durante a viagem assistir a dois filmes: “Os Vingadores” e “Noite de Fim de Ano”. Mais interessante que os filmes foram as paisagens desérticas que presenciei. No percurso da estrada é possível ver várias casas de pau-a-pique feitas por ciganos que nunca param em canto nenhum. Talvez eu seja parente de algum deles.

De Ica para Huacachina

Quatro horas depois cheguei a Ica. Como a cidade é feia, fui direto para meu destino que era Huacachina, um deserto que fica há 7 minutos da cidade. Peguei um táxi que me custou 7 soles. Há muitos tuc-tucs que podem lhe levar ao deserto, mas é preciso tomar cuidado, ouvir relatos de que muitos motoristas de tuc-tuc costumam roubar. E como já havia escurecido, não quis arriscar.

Os tuc-tucs em Ica.

Onde Ficar

Cheguei ao Hotel Suiza às 19 horas da noite. O hotel é um dos mais caros de Huacachina, mas nada que não possa ser pago. Cem reais, uma bagatela se comparado aos hotéis do Brasil. Apesar de haver alguns mais baratos, resolvi ficar neste porque a diferença de preço compensava, já que como estava muito cansado, queria um lugar confortável. O hotel possui uma piscina cercada pelas dunas de areia e uma internet wi-fi bastante satisfatória.

Como era noite e o deserto estava todo escuro, não tinha muito o que fazer. Tomei banho e fui comer uma pizza em um dos restaurantes. Há várias opções e como era noite de Halloween, todos os estabelecimentos estavam decorados. Dormir cedo para curtir as maravilhas do oásis logo ao raiar do dia.

A lagoa do óasis.

A água da lagoa não é lá muito limpa, mas não tem cheiro. É possível andar de pedalinho por ela, típico programa de casal. E vi algumas crianças da região tomando banho.

Na hora do almoço, para diversificar o cardápio, resolvi almoçar em Ica e aproveitar para conhecer a cidade. Peguei desta vez um tuc-tuc, paguei 5 soles e pedi para que me deixasse no centro. Ica realmente não tem nada de bonito para ver.

Praça de Ica.

Decepcionado com Ica, passei pouco tempo por lá. Apenas fui ao shopping, que é bem pequeno, almocei e comi uma torta de chocolate que só de lembrar me dá água na boca. Voltei para Huacachina e fui mergulhar na piscina do hotel.


O que Fazer em Huacachina

A sensação que tive ao nadar cercado por dunas de areia e coqueiros no meio do nada foi a de que eu estava em Dubai ou Abu Dabhi, porém gastando muito menos. Animado, sai da piscina e fui fazer um passeio radical de Bug.

Pacote de Atividades

Violeta, a recepcionista do hotel, chamou um agente de viagem para que eu fechasse um pacote. Com 130 soles ficou incluso a passagem de volta para Lima, o transfer de Van até a cidade de Paracas, o passeio de barco pelas Islas Ballestas e o passeio de Bug pelas dunas de Huacachina. Valeu a pena.

O passeio de bug é parecido com o que se faz nas dunas do Maranhão, a diferença é que em Huacachina as dunas de areia são triplamente mais altas.

Dirigindo pelas dunas.
O Bug.
As descidas em alta velocidade

O passeio de Bug é muito radical. Às vezes, parecia que o carro ia virar e matar todo o mundo na areia. Além da corrida, o passeio conta também com Sand Board, (surfe de areia). Com uma prancha, você desce as dunas deitado e também em pé. Tive medo de fazer, mas criei coragem e gostei muito. Deu vontade de passar o dia surfando.

Surfando na areia.
Descendo com tudo.

O passeio terminou, mas eu não voltei ao hotel. Aproveitei para passar o pôr-do-sol caminhando pelas dunas. Tive a sorte de conhecer um casal de amigos da capital que estava passando o dia em Huacachina, um oceanógrafo e uma bióloga. Ficamos conversando e tirando fotos durante todo o poente. Vê o deserto escurecendo de cima é uma experiência inesquecível.

Huacachina de noite.

Paracas

Fui dormir exausto. Andar no deserto cansa demais. Acordei às 5 da manhã porque às 6 a van iria me buscar para ir à Paracas. Arrumei minhas malas, fechei a conta do hotel e fui embora. Uma hora e meia depois cheguei ao meu primeiro destino. Paracas é uma cidade que fica à beira do mar. Não é muito bonita, mas tem seu charme.

Porto de Paracas.

Logo o meu grupo entrou num barco, o qual nos levaria para ver o Candelabro, um desenho feito há centenas de anos nas areias e que até hoje persiste intacto. É realmente impressionante.

Candelabro na areia.

Islas Ballestas

Vinte minutos mais e chegamos às Islas Balletas, um conjunto de ilhas onde vive vários animais, como: leões marinhos, focas, pinguins e inúmeras espécies de aves. Apesar do cheiro forte de cocô, a visão é linda, principalmente porque as focas nadam perto do barco. Infelizmente, entrou areia na minha máquina fotográfica durante meu passeio em Huacachina e o zoom não funcionou para captar melhor alguns animais. Mas a experiência de estar lá foi ótima.

Aves.
Ilhas.
Leões marinhos.
Pinguins, focas e aves.

Lenda Peruana

A parte boa dos passeios no Perú é que além das lindas paisagens, você sempre encontra alguém para conversar, já que o povo peruano é bastante simpático. Terminando as Islas Ballestas, o agente de viagem foi me levar até a rodoviária de Paracas, onde eu pegaria o ônibus de volta a Lima.

Quando fui subir na van, eis que pisei errado e cai com tudo no chão. Meu tornozelo doeu por dois meses. A queda foi feia. Coincidência ou não, minha orientadora do mestrado – que é um anjo de pessoa (de verdade) – também torceu o pé quando esteve no Perú. Assim que contei o episódio às professoras, elas me contaram que há uma lenda de que quem cai no Perú é porque irá voltar ao país. E parece que a lenda é verdadeira, já que eu gostei tanto que estou pensando em conhecer Arequipa, um dos lugares que faltou ir. Com certeza valeria a pena. Até a próxima viagem.

Deserto de Huacachina.

E se você vai viajar para o Perú, reserve já o seu hotel. Pesquise na caixa do Booking abaixo, encontre o melhor custo-benefício e feche sua hospedagem.

Curta-nos pelo Facebook: www.facebook.com/uziporai
Siga-nos pelo Twitter: www.twitter.com/uziporai
Veja nossas fotos pelo Instagram: www.instagram.com/uziporai
Compartilhe:

Comente via Facebook

4 Responses to Perú – Huacachina, Ica e Islas Ballestas: Oásis

  1. Kati says:

    Olá! Muito legal seu post.
    Você tem o contato da agência que você fechou os passeios de bug, islas e volta para Lima?
    Obrigada

    • Uziel Moreira says:

      Oi, Kati. Eu não tenho o contato, mas é só pedir a indicação para o pessoal do hostel/hotel que você se hospedar. Geralmente, eles passam agências de confiança. Boa viagem e qualquer dúvida é só perguntar. Abraços.

  2. Anonymous says:

    Nossa cara você pagou muito caro o taxi do aeroporto para a rodoviaria , o preço no maximo é de 10 soles.

    • Uziel Moreira says:

      Se não me falha a memória, existem duas rodoviárias, a da cidade em que fica o aeroporto e a rodoviária de Lima, por isso não são apenas 10 soles não. rsrs. É longe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *