(Foto de capa: meu quarto em Viena, 25 euros).

Até os 21 anos, minhas viagens se resumiam a finais de semana com a família por destinos nacionais. Como o Brasil não possui estrutura para turismo econômico, acreditei que o único meio de ter algum conforto fora de casa era se hospedando em hotéis com diárias de no mínimo 150 reais.

Quando acontecia de arriscarmos a dormir num lugar em que a diária custava menos que R$ 100, percebíamos logo que se tratava de uma espelunca. Por muito tempo, sem conhecer outros países, pensava que a realidade do turismo mundial era essa. 

Ao criar coragem de ir para a Europa sozinho, fui percebendo que minha concepção sobre hospedagem estava equivocada. Em Madrid, fiquei num excelente hostel com quarto e banheiro privado por 36 euros. Em Lisboa, consegui uma pousada igualmente fantástica por 32 euros.  Se acaso gostasse de dividir o quarto, poderia economizar ainda mais. Porém, como tenho pânico de dormir perto de quem nunca vi na vida, e pé atrás com banheiro que todo o mundo usa, sempre opto por ficar sozinho. 

Com a crise global, inflação, ou seja lá por qual motivo, o preço dos bons hostels subiram ao ponto de já não haver diferença entre suas tarifas e as de hotéis 3 estrelas, exceto se você se submeter a dividir o quarto com mais pessoas.

Quando precisei passar um mês em Sevilla para a realização de um curso, encontrei fuçando no Google a casa de uma espanhola que era um reduto de limpeza e bom gosto. Como a experiência foi mais barata e agradável do que imaginava, tive a ideia de pesquisar sobre pessoas que alugavam um quarto em suas casas por breves períodos de tempo. E foi assim, que para minha surpresa, descobri que existe um site especializado neste tipo de hospedagem: o Airbnb.

Airbnb é Confiável?

Com o design intuitivo, ferramentas fáceis de manusear e totalmente em português, o site funciona como uma espécie de rede social, na qual você cria o seu perfil como anfitrião (caso queira alugar seu quarto) ou como hóspede (caso esteja procurando onde se hospedar). Após criar seu perfil, basta escolher o destino, a quantidade de dias que deseja ficar e logo aparecerá uma lista com todos os anfitriões disponíveis.

Os preços variam de acordo com a localização, o interesse do proprietário, enfim.  Para escolher de forma segura onde se hospedar, recomenda-se vê as fotos da casa, os comentários de quem já ficou por lá, ler o perfil do proprietário, quais os idiomas que ele fala, o que o motivou, além do dinheiro, a ser um anfitrião…

Caso seu primeiro interesse seja preço baixo, você pode filtrar a pesquisa colocando o valor máximo que deseja pagar. Fiz uma simulação com Londres, provavelmente a cidade mais cara da Europa:

Simulação de pesquisa.
 

Note que surgiram 600 resultados de hospedagem com diária de no máximo 113 reais (o site converte automaticamente o valor de acordo com a cotação do dia). Desses 600 anúncios, veja que 71 já foram salvos por outras pessoas como “Wish Lists”, ou seja, as casas mais desejadas. Isto sugere que estes 71 anúncios possuem algo de especial, são mais confiáveis e portanto valem a pena serem visualizados. Você também pode filtrar o resultado de acordo com a localização, serviços, entre outras características. 

Antes de fechar negócio, você pode tirar dúvidas com o anfitrião, e não se preocupe, pois mesmo que vocês não falem a mesma língua, o site tem a função de traduzir as mensagens. Após fazer a reserva com cartão de crédito ou pré-pago (tudo pelo site), você recebe automaticamente o telefone e o e-mail pessoal do anfitrião para possíveis eventualidades. Já o pagamento, fica a cargo do site que repassará o valor ao proprietário apenas um dia após o fim da estadia, assim, a segurança ao hóspede é garantida.

Cupom de 25 dólares

Nos tópicos a seguir, deixei o link de algumas hospedagens em que fiquei. E se assim como eu, você preferir se hospedar por meio do Airbnb, cadastre-se clicando aqui e automaticamente ganhará 25 dólares de desconto na sua primeira reserva. Mas atenção: este cupom só vale para quem se cadastrar por meio do link logo acima.

Minha Experiência

Falando agora sobre minha experiência, posso afirmar que se trata de um ótimo sistema. Em Roma, onde é quase impossível encontrar alguma hospedagem decente por menos de 60 euros, principalmente no verão, encontrei uma casa simples, porém bastante limpa, agradável e próxima ao Coliseu pela bagatela de 33 euros, quarto privado. Segue o link da hospedagem em Roma: https://www.airbnb.com.br/rooms/158568

Banheiro e sala da hospedagem em Roma.

Observe que na parte superior da foto acima, além do nome do site estampado, há também a seguinte informação “Verifed Photo”, isso quer dizer que a foto foi tirada pelos próprios fotógrafos do site, os quais estão presentes em várias cidades.

Em Florença, cidade igualmente cara e abarrotada por turistas, fiquei na melhor localização possível, numa casa sem luxo, mas com muita comodidade (ar condicionado, ótima limpeza, internet) sem contar que a dona era uma verdadeira simpatia. A diária saiu por 35 euros. Segue o link da hospedagem em Florença: https://www.airbnb.com.br/rooms/46523.

Cozinha para preparar sua própria refeição na casa de Florença.

Por uma questão de transporte aéreo, tive que me hospedar em Milão. Como precisaria acordar muito cedo para pegar o avião, resolvi que me daria ao luxo de ficar numa casa cinco estrelas, situada a 100 metros da estação central. Mesmo com um banheiro de novela, cozinha de última geração e localização inacreditável, paguei 48 euros. Parece muito se comparada às anteriores, porém este valor é um terço de uma diária de hotel com o mesmo nível de qualidade. Segue o link da hospedagem em Milão: https://www.airbnb.com.br/rooms/687210.

 

Quarto da casa em Milão.

O dono dessa casa de Milão havia viajado. Quem me recebeu foi seu empregado doméstico, Mustafá, um marroquino. Após me receber e fazer seus afazeres, o rapaz foi embora e eu fiquei sozinho naquela mansão, inclusive, a casa foi inteiramente minha nos dois dias que lá passei.

O Airbnb também me quebrou um galho na Suíça, país mais caro que já visitei. Nem mesmo um albergue você encontra por menos de 100 francos. É impressionante como hotel na Suiça é caro. Para minha sorte, hospedei-me na casa de uma amiga que conheci no Perú, quando íamos os dois para Machu Picchu. Veja só como é a vida.

No entanto, depois de passar quatro dias comendo e dormindo de graça em sua casa, eu fui passar uma noite numa outra cidade e lá me hospedei numa casa em que a dona era muito animada, pena que eu não entendo uma palavra de alemão-suíço e meu inglês não é tão bom. Mesmo assim, a gente conseguiu se comunicar usando o tradutor do celular. Segue o link da hospedagem em Lucerne: https://www.airbnb.com.br/rooms/951716.

Varanda da hospedagem na Suíça.

Na Alemanha, fiquei na casa de uma aeromoça da Lufthansa. Tirei muitas dúvidas com ela antes de ir para lá, como por exemplo: qual passe de metrô comprar. Ela não falava português, mas sabia falar espanhol, o que deixou tudo melhor, pois assim pudemos conversar muito. Falei da minha vida, ela da dela, falamos até do holocausto judeu, assunto que os alemães não gostam nem de lembrar, mas é claro que com uma alemã que fala espanhol, eu não perderia a chance de perguntar coisas que sempre quis perguntar a um ariano nativo.

Quarto da casa na Alemanha.

A casa era dividida em dois andares, o primeiro era apenas para mim. Banheiro, cozinha, máquina de lavar, quarto imenso. Havia de tudo e a diária custava 39 euros. Vale lembrar que estávamos no verão e que a localização também era excelente. Tal comodidade, se fosse no Brasil, fazendo uma média por baixo, não me sairia por menos de 300 reais. Segue o link da hospedagem em Munique: https://www.airbnb.com.br/rooms/194581.

Posso dizer que fiquei em lugares mais satisfatórios do que muitos hotéis quatro estrelas. E como havia feito o pagamento numa época em que a cotação do euro estava 2,73, houve diárias que saíram por menos de 100 reais. Após a hospedagem, tanto o hóspede quanto o anfitrião fazem comentários para ajudar outras pessoas a se decidir onde ficar ou a quem é confiável hospedar.

Comentários em inglês e alemão dos meus anfitriões.

Por que se hospedar pelo Airbnb?

·         Preços mais atrativos.

·         Internet mais veloz.

·         Possibilidade de absorver melhor a cultura do lugar.

·         Você não é tratado como cliente e sim como hóspede.

·         Banheiros maiores.

·         Limpeza confiável.

·         Você é introduzido à rotina da família e se sente como parte dela.

·         Sabonetes e xampus de melhor qualidade à disposição.

Quem não deve se hospedar pelo Airbnb

  • Pessoas sem nenhum espírito aventureiro ou que não gostam de pesquisar.
  • Grupos numerosos.
  • Pessoas que necessitam assistência à disposição 24 horas.
  • Casais com filhos.
  • Gente bagunceira ou desorganizada em excesso.

Vale ressaltar que o site não abarca apenas a Europa, na América do Sul, também há anfitriões disponibilizando seus quartos vagos, no Equador, por exemplo, fiquei numa boa casa pagando 17 dólares.

E não esqueça do cupom de 25 dólares que você recebe do “Uzi Por Aí” ao se  hospedar pela primeira vez, para isto basta se cadastrar clicando aqui.

Uma última dica é: antes de sair pesquisando no Airbnb, veja primeiro o valor dos hotéis na cidade europeia que tem como destino. Apesar do aumento de preços, ainda é possível encontrar boas opções, principalmente em cidades em que o custo de vida é baixo, como por exemplo, Salamanca, onde paguei num hostel 23 euros, sendo quarto e banheiro privados em plena alta temporada.

Para pesquisar o seu hotel, use a caixa de pesquisa abaixo e assim, ao fechar sua reserva, você estará nos ajudando a manter o blog, e o que é melhor, sem pagar absolutamente NADA a mais por isso.

Achou o post útil? Então comente e nos siga pelas redes sociais.

Facebook / Twitter / Instagram


Categorias: Dicas

Deixe seu comentário

  1. Vitor PianeResponder

    mandou benzaço ! Tem o link do de ROMA ?

    • Uziel MoreiraResponder

      Sim, Vitor. Atualizei o post e coloquei os links. Boa viagem.

  2. Uziel SantosResponder

    Oi, Vitor. Se você tiver facebook, curte a página do blog que eu te acho e te envio o link. Abraço.

  3. by Juliana BuosiResponder

    Ola Uzi. Td bem?
    vc tem o link da casa de Milão? Poderia me passar?
    Vou agora em novembro com meu marido, não quero abusar, mas saberia me dizer se o valor que vc pagou é por pessoa ou quarto (pq bem vi uma camona de casal…heheheh)?
    Abraços

    • Uziel MoreiraResponder

      Oi, Juliana. Acredito que o quarto para duas pessoas sofra uma taxa, mas se eu não me engano, a taxa é pequena. Coloquei os links no post. Boa viagem.

  4. Uziel SantosResponder

    Oi, Juliana. Acredito que o quarto pra duas pessoas sofra uma taxa, mas se eu não me engano, a taxa é pequena. Vi que vc curtiu a página do blog pelo facebook. Vou te mandar o link por lá, ok? Abraços;

  5. AnonymousResponder

    Oi,Uziel!
    Tudo bem?
    Venho pesquisando bastante para minha viagem para Roma, com meu filho de 23 anos, e gostaria de saber se você poderia me enviar o link de Roma… Seria possível?
    Devemos ir em maio/2014, quando sairemos de férias. Sei que já é uma época onde os precos já estao mais altos, mas é quando dá pra ir…
    Pretendemos ficar uns 5 dias em Roma, uns 3 ou 4 em Florenca (mas lá já temos casa de amigos) e uns 2 em Veneza (ainda ñ decidido).
    Te agradeco, desde já, pela ajuda!
    Um abraco,
    Tania Cruz

    • Uziel MoreiraResponder

      Oi, Tânia. Como você está em duas pessoas, talvez seja melhor pagar por um quarto num hotel de 65 ou 80 euros, mas enfim, é bom ver as condições do anfitrião para hospedar duas pessoas no mesmo quarto, pois às vezes eles cobram apenas 15 euros a mais. Espero ter ajudado. Abraço.

  6. Uziel SantosResponder

    Oi, Tânia. Obrigado pelo comentário. Se puder, curta a nossa página no facebook. rsrs.
    Bom o link do de Roma é este: https://www.airbnb.com.br/rooms/158568 – coloquei todos os links no texto para facilitar.

    Como você está em duas pessoas, talvez seja melhor pagar por um quarto num hotel de 65 ou 80 euros, mas enfim, é bom ver as condições do anfitrião para hospedar duas pessoas no mesmo quarto, pois às vezes eles cobram apenas 15 euros a mais. Espero ter ajudado. Abraço.

  7. AnonymousResponder

    Uziel, muito uteis as suas dicas.
    Abraço
    Vitor

  8. Solange QuintaoResponder

    Oi, Uziel! Muito boas as dicas! Eu nao vou nos itinerários comentados (pretendo fazer Berlim, Praga e Viena). Algo assim. E vc me deu um Norte para minhas pesquisas, pois não sou rica, apenas curiosa. Preciso de bons preços! Agradeço muitíssimo.

    • Uziel MoreiraResponder

      Por coincidência, acabei indo nessas cidades que você citou e também fiquei pelo Airbnb. Encontrei coisas muito boas. Deixarei mais dicas. Obrigado pelo comentário.

  9. Solange QuintaoResponder

    Olá Uziel! Otimas dicas. Estou começando minhas pesquisas por hospedagens alternativas e vc me de um bom Norte. Grata

  10. Uziel SantosResponder

    Oi, Solange. Que bom que as dicas foram úteis. Depois que você for à Praga, volte para deixar o link de sua hospedagem. Penso em ir lá no ano que vem. rsrs. Abraços e boa viagem.

  11. Fabio PassosResponder

    Gostei muito dessa publicação! meus parabéns! gostaria de convidá-lo ao nosso programa de afiliados para estadias em apartamentos temporada na Europa: http://www.waytostay.com/pt/afiliados/

    • Uziel MoreiraResponder

      Obrigado, Fábio. Afiliei-me. Acho que usarei ou entrevistarei alguém que usou o serviço para poder conferir a funcionalidade do mesmo.

  12. Uziel SantosResponder

    Obrigado, Fábio. Afiliei-me. Acho que usarei ou entrevistarei alguém que usou o serviço para poder conferir a funcionalidade do mesmo.

  13. stella felixResponder

    Nossa, ótima dica! Vou pra Salvador sozinha e os preços lá são mto elevados. Nesse site achei um quarto por R$75,00, bom demais!
    Mto obg
    bjos

    • Uziel MoreiraResponder

      Que ótimo, Stella. Feliz por ter ajudado. Os preços em Salvador realmente são muito caros. Ainda bem que lá já tenho onde ficar por lá. Rsrs. Ah, e bom saber também que o Airbnb tem opções atraentes no Brasil. Beijos.

  14. Uziel SantosResponder

    Que ótimo, Stella. Feliz por ter ajudado. Os preços em Salvador realmente são muito caros. Ainda bem que lá já tenho onde ficar por lá. Rsrs. Ah, e bom saber também que o Airbnb tem opções atraentes no Brasil. Beijos.

  15. Beleza de Corpo InteiroResponder

    Obrigada por compartilhar as suas impressões e experiência através do blog… boas dicas para quem está planejando uma viagem!

  16. AnonymousResponder

    Olá Uziel,
    Parabéns pelas dicas. Estou planejando uma viagem à Londres e gostaria desse tipo de hospedagem em quartos. Me pareceu interessante: custoxbenefício. Qual site encontro boas opções? Esse da AIRBNB? Tem algum outro?
    Obrigado pela dica.
    JP

    • Uziel MoreiraResponder

      Oi, JP. Tem também o Booking para fazer um comparativo de preço entre os hotéis, mas realmente, se você pesquisar bem pelo Airbnb, as chances de encontrar hospedagem barata são muito maiores. Boa viagem.

  17. Uziel SantosResponder

    Oi, JP. Tem também o Booking para fazer um comparativo de preço entre os hotéis, mas realmente, se você pesquisar bem pelo Airbnb, as chances de encontrar hospedagem baratas são muito maiores. Boa viagem.

  18. AnonymousResponder

    Uziel, parabéns pelo texto, estava pensando em colocar o quarto de hóspedes em algum site, esse Airbnb me parece bem utilizado. Mais que o homestay.com. Obrigada pela dica.

    • Uziel MoreiraResponder

      Obrigado pelo comentário. E sim, o Airbnb além de ser mais organizado, possui também um público maior. Boa sorte.

  19. Uziel SantosResponder

    Obrigado pelo comentário. E sim, o Airbnb além de ser mais organizado, possui também um público maior. Boa sorte.