Bélgica – Antuérpia: Arquitetura Lapidada

Bélgica – Antuérpia: Arquitetura Lapidada

Em todas as minhas pesquisa sobre a Bélgica, li que as principais cidades a se conhecer eram Bruxelas, Brugges e Antuérpia (Antwerpia). Obedecendo estes guias à risca, separei um dia para conhecer a chamada “Cidade dos Diamantes”. Outro motivo pelo qual resolvi dormir uma noite em Antuérpia é que assim estaria mais próximo de Amsterdam.

Como Chegar

De Bruxelas à Antuérpia, partindo da Estação Central, são apenas 45 minutos. A passagem custou 7,30 euros, um bom preço. Também é possível partir de ônibus saindo do aeroporto.

O que Ver

A estação central de Antuérpia já conta como primeira atração turística. A arquitetura, tanto por dentro como por fora, é impressionante. Oponente e com um toque medieval, a estação já dá mostras das joias arquitetônicas que encontrará na cidade.

Fachada da estação.
Interior. Assista ao flashmob no final do post.

Assim que deixei as malas, fui andando para o porto de Antuérpia, o maior da Bélgica. Confesso que não esperava muito, mas o porto é bonito e até mesmo exótico. Há navios antigos encalhados na terra que dão ótimas foto e que tem mais tempo pode tomar banho em uma piscina termal ou visitar o museu Ann de Stroom, o qual possui uma arquitetura moderna.

Barcos antigos no porto.

Continuando minha andança, logo cheguei no que talvez seja o principal cartão postal do lugar, o castelo de Het Steen. Achei-o mais bonito ao vivo do que nas fotos, mas infelizmente não se pode entrar nos cômodos, pelo que percebi, você paga para visitar o seu entorno e as sacadas a fim de ter uma vista do mar e da cidade. Como o frio e a fome estavam demais até para admirá-lo melhor,resolvi que iria procurar um lugar para comer e também para me aquecer, e depois voltaria ao castelo.

Het Steen.
Sacada do castelo.
Estátua gigante na entrada do castelo.

Bastou atravessar a pista e alcancei o lindo centro de Antuérpia, onde cada construção chama a atenção, formando um conjunto arquitetônico dos mais bonitos que já vi. A prefeitura com suas bandeiras e fontes é merecedora de muitos flashes, assim como toda a praça em sua volta. Lojas charmosas, restaurantes pitorescos, estátuas ornamentais…

Prefeitura de Antuérpia
Grand Place de Antuérpia.
Fontes e bandeiras.

Quando estava voltando para o castelo, eis que cai um grandissíssimo de um toró, isto é, uma chuva que mais parecia um dilúvio. Escondi-me no primeiro toldo que achei pela frente e esperei por mais de meia hora que a chuva passasse. Quase congelando de frio, resolvi voltar para a casa, a fim de tirar um cochilo e me esquentar, pois uma coisa que me dá sono é frio intenso e céu cinza.

Centro.
Igreja Nossa Senhora.
Arquitetura em movimento. Última foto antes da chuva.

Indo por um caminho ainda desconhecido, passei pela rua De Meir, conhecida também como a “Rua das Lojas”, uma espécie de Oscar Freire, porém com lojas mais acessíveis como a 21 Forever, além de estabelecimentos de chocolate para a minha alegria. Como faltava poucos dias para iniciar a Copa do Mundo, o Brasil estava representando (de maneira estereotipada) em todo o comércio belga.

Chocolate Brazil.
Brazil em Antuérpia.
Rua De Meir.

De repente, mais uma tempestade e dessa vez entrei no MC Donalts da rua Leystrasse, a qual vale a pena passar com calma, pena que o céu estava tão escuro que não deu para tirar fotos muito decentes.

Faltou luz, mas era dia. Leytrasse.

 Quando o sol abriu lá pelas 6 da tarde, voltei a andar pela cidade, ainda admirado com a sua arquitetura. Não entrei em nenhum museu, embora haja vários, isso considerando o meu pouco tempo e também os preços altos. Para se ter uma ideia, o ingresso do zoológico de Antuérpia custa 22 euros. Ainda bem que não fui, pois assim pude ir ao zoo de Viena que possui animais raros, como o Panda. Em todo o caso, a arquitetura em volta do zoo também chama a atenção.

Estátuas do Egito.
Entrada do zoo.

Antuérpia Vale a Pena?

Embora tenha muitas joalherias com desenhos de diamantes estampados nos vidros, não vi nenhum diamante em Antuérpia. Mas vi sim uma cidade jovem, com um patrimônio histórico muito bem conservado, cuidado e, principalmente, uma arquitetura das mais preciosas. Mesmo com o mal tempo, deu para conhecer a cidade de forma satisfatória, isto pode ser feito até mesmo como bate-volta saindo de Bruxelas. Assim sendo, se estiver na Bélgica, eu reitero o que todos dizem: passe na lapidada Antuérpia.

 Flasmob na estação de Antuérpia:

Compartilhe:

Comente via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *