Bogotá – Museu do Ouro: A Cara da Riqueza

Bogotá – Museu do Ouro: A Cara da Riqueza

Assim como o Louvre está para França, o Museu do Ouro está para a Colômbia. De longe é o museu mais importante do país, um dos mais bonitos da América do Sul e seguramente um dos que possui o acervo mais caro do mundo.

Entrado do museu.

Entrado do museu.

Situado na Candelária, centro histórico de Bogotá, todo nativo sabe onde ele se encontra, afinal se trata de um ícone emblemático da cidade, tanto que há uma estação de TransMilenio (transporte público similar ao de Curitiba) com o mesmo nome do museu, ou seja, impossível não encontrá-lo.

Preço e Horários

Por ser tão famoso e possuir peças raríssimas, imaginei que o valor da entrada fosse alto, no entanto, o ingresso custa a bagatela de 3 mil pesos (pouco menos de 4 reais). Menores de 12 anos e maiores de 60 não pagam.

De Segunda a sábado, pode ser visitado entre 9 da manhã às 6 da tarde. Já nos domingos e feriados, funciona das 10 às 5.

O que Tem lá?

“El Museo del Oro” tem uma vasta coleção de peças feitas por seus ancestrais usando o principal minério da terra: o ouro. Cada tribo, em cada região do país, trabalhava o ouro de forma diferente e com intenções distintas conforme a época.

Artefato de 400 antes de Cristo.

Artefato de 400 antes de Cristo.

Com peças datadas de antes do nascimento de Cristo, o museu deixa qualquer historiador de boca aberta. Já para os que não entendem patavinas de arqueologia ou de antropologia histórica, não tem problema, as peças por si só são tão bonitas que nem faz tanta falta saber as informações científicas.

Mas se você é do tipo que gosta de saber de tudo, pode alugar o áudio-guia por mais 3 mil pesos. O único problema é que não há no idioma português, se não me falha a memória, os guias são encontrados apenas em espanhol, inglês e francês.

museu do ouro peças colombia

Corujas.

museu do ouro peças bogotá

Divindades.

museu do ouro peças

Guerreiros.

A curadoria do museu é luxuosa. As peças estão penduradas em um painel dourado, protegidas por um vidro à prova de bazuca, pois o valor dos artefatos não estão apenas no material com o qual foram feitos, agrega-se a cada peça o valor histórico, o que faz com que muitas delas realmente não tenha preço. Como é o caso da miniatura “A Balsa da Oferenda”, representação em ouro do cerimonial do povo daquela época.

museu do ouro a barca

A Balsa da Oferenda.

Ao total, são 33 mil objetos, somando tudo isso, o valor deve se equiparar ao Museu do Vaticano e do Louvre, os maiores que conheço. Apesar desta minha estimativa não ter base nenhuma, pelo menos uma coisa é certa: em beleza, o museu não fica devendo em nada.

museo del oro adereços

Adereços em ouro e como eram usados.

museu do ouro enfeites

Adereços de outra tribo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Olha a chiqueza. Os índios aqui usavam cocar de ouro.

Olha a chiqueza. Os índios aqui usavam cocar de ouro.

 

Com tantas coisas para ver e admirar, às vezes se faz necessária uma segunda visita. E ao que tudo indica, é exatamente isso que o museu quer. Antes de começar o recorrido, por exemplo, há uma sala de cinema, na qual de forma interativa, o público visitante escolhe até três peças para saber sobre elas, deixando as que não foram vistas para outra oportunidade.

Castiçal de ouro.

Castiçal de ouro.

Dentre tanto material, há alguns que se destacam, não pelo seu tamanho, mas pelo que eles representava naquela sociedade. Vários animais foram retratados em ouro, como por exemplo, a rã, pois ela representava a alma. Outros animai

museu do ouro rã

Rã em ouro.

museu do ouro borboleta

Corpo de homem em cabeça de borboleta.

 

 

 

 

 

 

 

 

museu do ouro pato

Pato colher. Datado de 640 d.C.

Na década de 80/90, muitas peças do acervo foram roubadas e só encontradas anos depois. Algumas delas chegaram a ser recuperadas na China. Não à toa que atualmente o museu conta com uma segurança de filme.

porta blindada museu do ouro.

Porta de bancos que guarda as peças.

Além das peças de ouro, o museu também apresenta peculiaridade dos povos. Como as estátuas de pedra que faziam ao seu deus, e há ainda uma parte muito interessante que mostra a pluralidadede raças da Colômbia.

SAM_6043

Selfie com San Agustin.

raças indigenas

Raças da Colômbia.

Em resumo: o Museu do Ouro é a cara da riqueza. Imperdível.

museu do ouro índios

E nesse domingo (29/03), todos nós blogueiros da RBBV estamos fazendo uma blogagem coletiva com os melhores museus do mundo. Tem para todos os gostos. Confira o listão.

Américas:

Uziel Santos – Uzi Por Aí – Museu do Ouro (Bogotá, Colômbia).
Claudia Rodrigues – Felipe, O Pequeno Viajante – Museu de Ciência e Tecnologia da PUC (Porto Alegre – RS)
Adriana Ramos – Sonhando em Viajar! – Museu Nacional da História Natural da Quinta da Boa Vista (Rio de Janeiro – RJ)
André Morato – Blog Meu Destino – Inhotim (Brumadinho – MG)
Antonio Rômulo Jr. – Retrip Viagens – Museu de Arte Sacra (São João Del Rey – MG)
Andrea Barros – Do RS para o Mundo – Museu Histórico de Veranópolis (Veranópolis -RS)
Eloah Cristina – Marola com Carambola – Memorial da Resistência de São Paulo (São Paulo – SP)
Carmem Batista – O que vi do Mundo – Museu do Futebol (São Paulo – SP)
Talita Marchao – Me Deixa Ser Turista – Pinacoteca, Estação Pinacoteca, Dops e Museu da Língua Portuguesa (São Paulo – SP)
Cristiane Rangel – Pequeno Grande Mundo – Museu de Ciências Naturais do Bosque da Ciência – INPA (Manaus – AM)
Jamille Andrade – Rascunhos de Fotografia – Museu do Ceará, MAUC e Museu do Humor (Ceará)
Julia Motta – Quebrei a Bússola – Museo del Holocausto (Buenos Aires – Argentina)
Thiago Busarello – Vida de Turista – MALBA (Buenos Aires)
Camila Faria – E aí, Férias – American Museum of Natural History (Nova Iorque – Estados Unidos)
Liliane Inglez – Trilhas e Cantos – Museu Chileno de Arte Pre Colombino (Santiago – Chile)
Cynara Vianna – Cantinho de Ná – Instituto Ricardo Brennand (Recife – PE)
Andrea e Luciano – Malas e Panelas – Vizcaya Museum and Gardens (Miami – Estados Unidos)
Mariana e Augusto – Embarque Portão 5 – Museo de Las Casas Reales (Santo Domingo – República Dominicana)
Francine Agnoletto – Viagens que Sonhamos – Field Museum (Chicago – Estados Unidos)
Camila Lisboa – O Melhor Mês do Ano – Tumbas Reales de Sipan (Chiclayo – Lambayeque, Peru)
Camila Torres – Colecionando Ímãs – Os Museus de Arte de Brasília (Distrito Federal)

Europa:

Heloisa Righetto – Aprendiz de Viajante – 5 museus não tão conhecidos para visitar em Londres (Londres – Inglaterra)
Deb Wal – Segredos de Londres – National Gallery (Londres – Inglaterra)
Fernanda Scafi – Tá indo pra onde? – Deutsches Historiches Museum (Berlim – Alemanha)
Nicole Plauto – Agenda Berlim – 03 museus para visitar na primeira vez em Berlim (Berlim – Alemanha)
Claudia Bömmels – Brasileiros Mundo Afora – Deutsches Technik Museum (Berlim – Alemanha)
Natália Gastão – Ziga da Zuca – Museu Judaico (Berlim – Alemanha)
Renata Inforzato – Direto de Paris – Hôtel de Soubise – o palacete que virou arquivo e museu – (Paris – França)
Fabia e Gabi – Estrangeira – Museu Picasso (Barcelona – Espanha)
Roberta Martins – Territórios – Museu Dalí (Barcelona – Espanha)
Adriana Lima – Da Porta Pra Fora –  Museu DOX (Praga – República Checa)
Ana Cristina – ITALIAna – Galleria degli Uffizi Florença (Florença – Itália)
Deyse Ribeiro – Passeios na Toscana – Museu Cappella Brancacci (Florença – Itália)
Aline Dota – Descobrindo a Alemanha – EL-DE-Haus – Centro de documentacao do Nazismo (Colônia – Alemanha)

Larissa Andrade – Esto es Madrid, Madrid – Reina Sofía (Madri – Espanha)
Fani e Robson – Meu Mundo Por Aí – Museo Del Prado (Madri – Espanha)
Dalila Barakat – Mil e Uma Viagens – Mauritshuis (Haia – Holanda)
Simone Betoni – O Guia de Milão – Casa Museu Boschi di Stefano (Milão – Itália)
Solange Spiess – No Mundo com a Gente – Museu Casa de Rembrandt (Amsterdam – Holanda)
Poliana Cardozo – Comendo Chucrute e Salsicha – Museu de Belas Artes de Sevilha (Sevilha – Espanha)
Claudia Bins – Mosaicos do Sul – Museu Dalí (Saint Petersburg – Estados Unidos)
Luciana Rodrigues – Turismo em Roma – Museu da Emigração Italiana (Roma – Itália)
Virna Mitrogiannis – Uma Brasileira na Grécia – Museu Acrópoles (Atenas – Grécia)
Cyntia Campos – A Fragata Surprise – Museu da Acrópole (Atenas – Grécia)

Diversos:

Mirella, Oscar, Martinha e Carina – Viajoteca – Te Papa de Wellington (Nova Zelândia) Vizcaya Museum & Gardens (Miami)
Thaissa Chagastelles – Viagem com a Thathá – Auckland Museum – (Auckland – Nova Zelândia)
Marina Vidigal – Ideias na Mala – Angkor National Museum (Siem Reap – Camboja)
Nívia Guirra – Viagens Invisíveis – 5 Museus Palácios no Marrocos (Marrakech e Fez – Marrocos)

Siga-nos pelas redes sociais e receba as atualizações.

Compartilhe:

Comente via Facebook

19 Responses to Bogotá – Museu do Ouro: A Cara da Riqueza

  1. Pingback: Angkor National Museum em Siem Reap | Ideias na mala

  2. Eu já tinha visto joias neste estilo, agora o museu. Muito interessante!

  3. Adorei o título do post (o post todo, na verdade!). Bogotá é uma cidade que desejo conhecer e este museu estará entre as prioridades para se visitar por lá! Abs

  4. Nivia says:

    Realmente, é a cara da riqueza! Acho que é o melhor museu da Colômbia, realmente imperdível! Abs

  5. Que lindo esse museu!!!! Fiquei louca para conhecê-lo!!!!

  6. Fran Agnoletto says:

    Muito bacana.
    Bogotá está na minha listinha de desejos!

    Abraços,
    Fran @ViagensqueSonhamos

  7. Martinha says:

    Que luxo este museu… Amo museus pouco “óbvios”. Sonho em conhecer a Colômbia. Deve ser incrível e muito diferente da minha realidade atual (moro na França).
    Boa semana!

  8. Larissa says:

    Cada coisa que leio sobre a Colômbia me deixa com mais vontade de conhecer esse país mágico. Já me falaram super bem desse museu e espero poder ir em breve! 😀

  9. Camila says:

    O Museu do Ouro é show de bola mesmo! Fiquei na dúvida entre ele e o que eu escolhi pra postar no OMMDA (o Tumbas Reales de Sipan 😉 ).

  10. Julia says:

    Nossa, adorei esse museu! Quanta peça incrível, quanta história em um lugar só! Realmente, seria quase impossível avaliar essas peças apenas pela matéria prima, já que o valor histórico é infinito. Adorei conhecer mais sobre Bogotá. Com certeza visitarei esse museu quando estiver por lá!
    Obrigada por compartilhar Uzi :)

  11. Que lindo, adorei! Passaemos 1 dia em Bogotá em agosto, vou tentar conhecer esse museu.

  12. davi says:

    opa! bonito de mais. Uzi, eu queria pedir para vc fazer uma entrada sobre o transporte nessa cidade. Tipo, como chegar no museu, ou os meios de transporte usados. A relação disso com as pessoas, etc, etc.

    Abs,

    • Oi, Davi. Eu não coloquei a direção do museu porque como dito ele tá do lado da estação de TransMilenio de mesmo nome. Mas agora que você falou, irei colocar.

      Estou pra fazer um post sobre o transporte daqui, não escrevi ainda porque tô pensando em como fazê-lo. O transporte aqui é meio complicado de explicar. Mas vou escrever sim. Obrigado pela sugestão.
      Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *