Morar no Exterior – Coisas que Funcionam na Europa e que Não Funcionam no Brasil

Morar no Exterior – Coisas que Funcionam na Europa e que Não Funcionam no Brasil

Este não é um post para falar que no Brasil nada presta. Inclusive, se você assistir aos episódios da segunda temporada de “Perspectiva Internacional“, verá que os brasucas que moram no 1º mundo citam coisas que são até melhores no nosso país. Segue um vídeo para confirmar.

Mas também é verdade que há sim algumas coisas que funcionam na Europa e que não funcionam no Brasil. Vou falar daquelas em que a diferença é gritante.

Internet 3G/4G

Na Irlanda, achei um quarto para alugar, mas na casa não havia internet, ou seja, totalmente inviável, já que eu trabalho com o blog. Disseram-me no entanto que eu podia comprar um chip por 20 euros que já vinha com internet ilimitada.

O problema, disse eu, é que 3G é muito lento. Foi aí que escutei: você não está no Brasil. Comprei o tal do chip e olha, pense numa internet ligeira. Ligava para os amigos por Whats App ou Facetime na rua, subia vídeo no Youtube de 300 megas em menos de 4 minutos e até assistia filmes no Netflix dentro do ônibus, sem travar.

Aqui em Portugal, onde atualmente moro, o 3G/4G também dá para fazer tudo no meio da rua, inclusive quando preciso fazer as entrevistas do blog pelo Skype e o wifi de casa está com o sinal  fraco por causa da quantidade de gente usando, eu ligo a rede móvel, e as chamadas são feita sem nenhuma interferência.

uzi-por-ai-limerick

Casa em Limerick, Irlanda.

E outra coisa, a velocidade da Banda Larga é realmente aquela que você contratou. Baixar um filme na velocidade de 5 megas por segundo era uma coisa que eu nem sabia q existia. E isto num plano normal.

Tarifas Telefônicas

É inacreditável como os serviços telefônicos do Brasil são caros. Em todos os países da Europa em que já andei é possível fazer chamadas nacionais de graça e até internacionais pelo telefone fixo. E o pré-pago então é uma maravilha.

Em Portugal, eu paguei 8,50 euros num chip que vinha com 500 minutos, 500 SMS, 500 megas, sendo que o uso das redes sociais são ilimitados, tanto Whats App, quanto Face, Instagram, Twitter, Facetime e até Skype, e tudo isto por 4 meses. Ou seja, os 8,50 serve para 120 dias, sendo que a cada mês os minutos, os SMS e os dados se renovam automaticamente sem precisar pagar mais nada.

Veja mais sobre esse chip de Portugal.

Segurança Pública

Talvez esta ainda seja a maior diferença de todas. É verdade que muitos atentados terroristas estão acontecendo, porém a maioria deles sucedem nas capitais e em grandes aglomerações.

img_2598

Carros na noite de Valetta, Malta.

Como no Brasil, na Colômbia e na Argentina (onde já vivi na América do Sul) é preciso estar atento a tudo, às vezes tomo medidas de segurança aqui que as pessoas não entendem. Por exemplo, antes morava num quarto em que havia um varal na janela. A dona da casa mandou que eu estendesse a roupa lá antes de dormir, sendo que não tem muro, grade nem nada. “E se alguém roubar?”, perguntei acusando ela de doida. “Aqui não é o Brasil”, respondeu ela. Que diabo eu ia dizer depois dessa.

Algo que ainda me impressiona em todos os países da Europa, é ver os carros dormindo no meio da rua. Garagem aqui é raridade. Estacionamento privado somente em lugares que não têm espaço para estacionar.

Preços das Passagens Aéreas

O conceito de promoção e/ou preço baixo quando se trata de passagens aéreas no Brasil é realmente de chorar. Seja por falta de concorrência, pelos altos impostos cobrados às companhias, ou pela safadeza da ANAC, o fato é que os preços dos voos nacionais são excessivamente caros e tem um bom tempo que não vejo promoções por menos de 99 reais. Talvez Rio-São Paulo. Mas no geral não dá para comparar.

Nestes dias, apareceu um monte de promoção pelas low coast. Porto/Lisboa-Paris 10 euros. Mesmo o real estando mais desvalorizado que mulher de bandido, não chega a 45 reais, e estamos falando de uma distância de 2 mil km, equivalente ao trecho  São Paulo-Salvador.

Claro que esse valor é uma promoção, mas a quantidade de rotas por 15 euros, 19, 25, é imensa. E se a gente não converter, digo, para quem mora aqui e ganha em euros, uma viagem dessa representa um custo muito menor na renda familiar do que custaria uma viagem no Brasil duma distância similar.

Obviamente, as companhias que não são low coast podem ter o valor parecido com os nossos e até maior, mas a questão aqui é a seguinte: existe a possibilidade de viajar pagando muito menos, enquanto que no Brasil esta possibilidade econômica “no existe”

Bom, mas a vida é feita de prós e contras. Qualquer dia desses faço um post falando sobre o que funciona no Brasil e não funciona aqui. Até lá.

Foto de capa: Castelo de Limerick.

Compartilhe:

Comente via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *