Para quem não sabe, a famosa Riviera Francesa, ou se preferir, a Côte d’Azur (Costa Azul) se trata da área litorânea do sul da França, mais precisamente, começando pela cidade de Marselha e terminando no Principado de Mônaco, país minúsculo, que curiosamente, localiza-se dentro da própria França.

Embora seja uma das regiões mais badalas da Europa, nunca tive muito interesse de ir lá, primeiro porque eu não sou muito chegado a praias; e segundo porque, mesmo se eu o fosse, não teria possibilidade financeira de ir no verão, época em que o lugar ferve de gente, sendo a maioria, multimilionária

Transporte na Riviera Francesa

Para a minha surpresa, entretanto, a Ryanair estava com passagens de apenas 15 euros de onde eu moro (cercanias do aeroporto de Porto) para Marselha. Além disso, como as datas da promoção caiam no inverno, a hospedagem por lá não estaria tão cara, resultando assim num bom cenário para eu arruma a mala (de no máximo 10 kilos) e embarcar. O difícil foi decidir em quais cidades dormir levando em conta as opções de transporte econômico. Os trens na França são estupendos, mas são muito caros, já os ônibus são baratos, confortáveis, porém a disponibilidade é ridícula, 3 ou 4 por dia, e em horários terríveis para quem quer otimizar o tempo.

A dica então é: se você tiver como alugar um carro, alugue, é de longe a melhor alternativa, principalmente se estiver em um número maior que dois. Com o carro, fica mais fácil encontrar hospedagem barata, pois pode dormir em bairros ou povoados “distantes” da parte turística sem ter que abrir mão de conhecê-las, afinal, de carro tudo fica perto, até porque as estradas são EXCELENTES.

Depois de horas penando para definir o roteiro, fiz uma mistura de bus e trem, respectivamente, pesquisando em sites como Go Euro e SNCF. Alguns percursos são mais baratos se comprados com antecedência.

Quais Cidades Conhecer na Côte d’Azur

É aqui que o bicho pega. Para facilitar, caso não esteja de carro e tenha pouco tempo/dinheiro, evite as cidades pequenas, pois os deslocamentos serão uma dor de cabeça. Marselha, Nice e Mônaco, do leste para o oeste, são as principais metrópoles e é fácil se locomover entres elas. Fora disso, a coisa se complica um pouco.

Por exemplo, entre Marselha e Nice, encontra-se Cannes, muito famosa devido o Festival de Cinema. Como é algo que me interessa e fica no meio do caminho, decidi dormir lá uma noite. O que eu não sabia é que era mais fácil ir direto de Marselha para Nice, do que fazer uma parada lá, pois o trem é caro, os ônibus são poucos, e os que têm nem sequer param no centro de Cannes, e sim na afastada estação de Le Cannet.

O mesmo acontece se você quiser ir à ultra famosa Saint-Tropez. Trata-se de um lugar elitizado, e tão exclusivo que chegar lá de transporte público exige toda uma logísticia, e ao fim, dizem, que nem vale tanto a pena. Uma coisa é a Saint-Tropez que frequenta Cristiano Ronaldo, Neymar, etc, outra coisa é a Saint-Tropez de um turista classe média.

Combinemos então que visitando Marselha, Nice e Mônaco, o que vier a mais é bônus. 

Sobre Marselha

Achei um mangue. Para o bem e para o mal, foi uma das cidades mais exóticas que vi na Europa. Vale a pena conhecer, mas vá preparado para não morrer de susto com a feiura entre o aeroporto e à estação principal. A minha primeira impressão foi realmente terrível. Há coisas muito bonitas lá para se ver, como o Porto Velho e a Catedral de Notre Dame, no entanto, o entorno é totalmente “terceiromundizado”. Muita sujeira, descaso, falta de educação dos motoristas para com os pedestres e uma quantidade de morador de rua bastante alta.

A menos que tenha interesse, time e grana para visitar as ilhas que há ao redor, um dia inteiro é o suficiente para conhecer as principais atrações.

Sobre Cannes

Passei apenas uma noite e uma manhã. Achei tudo lindo, realmente sensacional. Mas a cidade é um ovo de codorna. Por sorte, consegui um quarto de 25 euros, muito abaixo da média, num apartamento a 5 minutos do centro, e por mais inacreditável que pareça, o dono do apartamento viajou, deixou a chave numa loja para eu ir buscar, e lá me hospedei sozinho sem nem ao menos ter conhecido o locatário.

Já com a comida não tive a mesma sorte. Paguei a pizza mais cara da minha vida: 13 euros. Tudo lá é caríssimo. Roupa então nem se fala, é só grife pesada. Postei no Instagram do blog, por exemplo, uma pochete da Prada que custa 690 euros, clique aqui para ver.

Sobre Nice

Um desaforo de beleza. Nice é inexplicável, fui embora apaixonado e chateado de ter passado mais tempo em Marselha do que lá, tudo por culpa dos horários dos ônibus. Se você estiver na França, faça um esforço e coloque Nice no roteiro, é um espetáculo. Mais bonita que Bordéus e não faz feio perto de Paris. Merece pelo menos 2 dias inteiros, inclusive se eu pudesse teria ficado uma semana.

Não é barata, mas como é grande, se procurar bem e com antecedência, dá para encontrar coisas boas. Logo farei um post dando dicas sobre hospedagem, eu consegui a proeza de pagar 25 euros num quarto privado em frente à Catedral de Notre Dame. No verão isto seria impossível.

Sobre Mônaco

É tudo aquilo que eu imaginava e mais um pouco. Luxo, glamour, ostentação, um país surreal que definitivamente não é para pobres, eu me senti um mendigo, até perdi as contas de quantas vezes fui expulso dos lugares. Como gosto de explorar tudo, eu entrava naquilo que via aberto e logo em seguida aparecia alguém pedindo que me retirasse, pois o lugar era privado, exclusivo, reservado…

Apesar das expulsões, não levei para o lado pessoal. É compreensivo que isto aconteça em uma bolha de milionários. Mônaco parece a Disney, um país fabricado para ser perfeito e fora da realidade. Os carros estacionados na rua eram de BMW para cima. Ferraris, nunca vi tantas. Lamborghinis, uma em cada esquina. Pedintes, não vi nenhum. Sujeira, também não.

Um dia inteiro, embora corrido, é o suficiente para conhecer tudo. O ideal seriam dois, o problema pode ser a questão da estadia. Hotel por lá é para barão, por isso o que todo o mundo faz é passar o dia e voltar para dormir em Nice, já que fica apenas 18 minutos de trem (4,10 euros o trajeto), e 40 de bus (2 euros).

 Se ainda não nos segue no Facebook, curta para não perder os relatos desta trip que com certeza vai lhe inspirar. Au revoir!

 

IMPORTANTE: Se você vai viajar, precisará de um seguro viagem (inclusive, para a Europa é obrigatório). Compre o seu com a Seguros Promo, empresa que trabalha com várias opções de preço, e receba 5% DE DESCONTO usando o cupom do blog: UZIPORAI5. Indico porque já usei (veja como foi minha experiência) e não tive problemas. Clique aqui ou no banner abaixo e confira qual se adequa melhor às suas necessidades.

Toda vez que efetuar a compra do seu seguro através dos links ou banners expostos no “Uzi Por Aí”, você estará nos ajudando sem pagar absolutamente nada a mais por isto.

Obrigado e ótima viagem!


Categorias: França, Mônaco

Deixe seu comentário

Este artigo não possui comentários